quinta-feira, 17 de abril de 2014

17/04 Lava pés "Dei-vos o Exemplo"


"Vós me chamais de Mestre e Senhor; e dizeis bem, porque sou. Se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que façais assim como eu fiz para vós." (Jo 13, 1 - 20)

Deus os abençoe!
CAFN

sábado, 12 de abril de 2014

É pelo coração que encontramos razões para devolver o dízimo


A justiça de Deus e o dízimo

"Mas ai de vocês, fariseus, porque vocês pagam o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as ervas, mas deixam de lado a justiça e o amor de Deus. Vocês deveriam praticar isso, (justiça e amor) sem deixar de lado aquilo" (dízimo) (Lc 11, 42).
Jesus não isenta o dízimo no Novo Testamento. Ele coloca o dízimo juntamente com justiça e o amor de Deus. Ele chama a atenção dos fariseus que eram legalistas e conservadores. Eram rígidos na lei, porém não sabiam o que era a conversão do coração. Entre o amor e a razão, optavam pela razão.
Além do dízimo, Jesus acrescenta o amor e a justiça de Deus. Pois parece que os fariseus haviam esquecido desse outro ensinamento bíblico: "É manchada a oferta de quem sacrifica de bens iníquos e não são bem aceitas as ofertas dos injustos" (Eclo 34,22). 
Não basta seguir os preceitos religiosos. Em outra passagem Ele afirma: "O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado" (Mc 2,27). Ao colocar o dízimo ao lado do amor e a justiça teremos um dízimo que nasce no coração de cada fiel. "Cada um devolva segundo o que se propôs em seu coração..." (II Cor 9,7) Assim o dízimo não será imposto, obrigação que nos pesa aos ombros mas uma resposta da justiça e amor a Deus e aos irmãos.

Fonte: Livro Pensamentos para os Jovens Papa Emérito Bento XVI.

Deus os abençoe Juventude!
CAFN

sexta-feira, 11 de abril de 2014

13/04 Domingo de Ramos - Hosana ao filho de Davi!



O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus agitando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: "Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas".

Os ramos apresentados pelo povo nos remetem ao sacramento do batismo, por intermédio do qual nos tornamos filhos de Deus e responsáveis pela missão da nossa Igreja. E o ato de levarmos os ramos para casa nos lembra que estamos unidos a Cristo na luta pela salvação do mundo.

A Procissão de Ramos tem como objetivo apresentar a peregrinação que cada cristão realiza sobre a Terra buscando a vida eterna ao lado do Senhor. Esse ato nos faz relembrar que somos peregrinos neste mundo e que o céu é o lugar de onde viemos e para onde devemos voltar.

Por fim, a Santa Missa do Domingo de Ramos traz a narrativa de São Lucas sobre a Paixão de Jesus: Sua angústia mortal no Horto das Oliveiras, o Sangue vertido com o suor, o beijo traiçoeiro de Judas, a prisão, os maus-tratos nas mãos dos soldados na casa de Anãs, Caifás; Seu julgamento iníquo diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, Sua condenação, o povo a vociferar “crucifica-o, crucifica-o”; as bofetadas, as humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, a ajuda do homem Cirineu, o consolo das santas mulheres, o terrível madeiro da cruz, o diálogo d'Ele com o bom ladrão, Sua morte e sepultura.

O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o Seu Reino, de fato, não é deste mundo. Que Ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas para derrubar um inimigo muito pior e invisível, o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar a Paixão, passar pela morte para destruí-la; perder a vida para ganhá-la.

Professor Felipe Aquino


Deus os abençoe e uma semana realmente santa!
CAFN

Pensamentos para os Jovens

Futuro

"Quem vive hoje a condição juvenil enfrenta muitos problemas resultantes do desemprego, da falta de referências ideais certas de perspectivas concretas para o futuro. Às vezes pode-se ficar com a impressão de impotência diante das crises e derivas atuais. Apesar das dificuldades, não vos deixeis desencorajar nem renuncieis aos vossos sonhos! Pelo contrário, cultivai no coração desejos grandes de fraternidade, de justiça e de paz. O futuro está nas mãos de quem souber procurar e encontrar razões fortes de vida e de esperança."

Fonte: Livro Pensamentos para os Jovens Papa Emérito Bento XVI.

Deus os abençoe Juventude!
CAFN

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Pensamentos para os Jovens

À escuta

"Para descobrir o projeto de vida que vos pode tornar plenamente felizes, colocai-vos à escuta de Deus, que tem um desígnio de amor sobre cada um de vós. Com confiança, perguntai-lhe: "Senhor, qual é o teu desígnio de Criador e Pai sobre a minha vida? Qual é a tua vontade? Desejo cumpri-la". Estai certos de que vos responderá. Não tenhais medo da sua resposta! Deus é maior que os nossos corações e conhece tudo" (1Jo 3,20)!"

Fonte: Livro Pensamentos para os Jovens Papa Emérito Bento XVI.

Deus os abençoe Juventude!
CAFN

quarta-feira, 2 de abril de 2014

OS FRUTOS DE UMA VIDA SEM FÉ!

A cruzada do ateísmo militante contra a fé cristã

Embora seja um dado natural do ser humano, ter fé passou a ser considerado, em alguns ambientes, uma atitude imoral. Isso se deve principalmente às teses malucas de alguns paladinos do neoateísmo, como, por exemplo, Richard Dawkins. Todavia, os frutos do ateísmo ao longo dos séculos demonstram que ele está longe de ser tão racional quanto parece.
A cruzada do ateísmo militante contra a fé cristã não só abre caminho para falsificações da realidade, como também para o ressurgimento do paganismo
O mundo relativista também tem seus dogmas. Torna-se cada vez mais comum nos dias de hoje a exclusão da fé cristã, como um pressuposto básico para o desencadeamento de uma ação social. O simples ato de crer é considerado um comportamento desumano, tendo-se a impressão de que a fé levaria o indivíduo a uma espécie de alienação de seus direitos, posto que a pessoa se perde em orações e rituais sem sentido. O homem, portanto, deveria ser privado da fé ou, ao menos, esclarecido sobre os males que advêm dela, sobretudo daquelas religiões que pregam a crença num Deus único e pessoal.
A tentativa de eliminar-se a fé das pessoas foi uma constante nos últimos dois séculos. Sob o axioma marxista de que a religião seria o “ópio do povo”, inúmeros governos, mormente aqueles de índole gnóstica e ateia, subjugaram povos inteiros, acusando-os até mesmo de crime contra a pátria, simplesmente por aplicarem a máxima cristã do “dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Cf. Mt. 12,15-21). Foi assim que o governo maçom de Plutarco Elías Calles dizimou centenas de cristãos, no México, durante a chamada Guerra de Cristiada, na década de 20, com o pretexto de impedir o avanço de “crenças fundamentalistas”[1]. De igual modo, nazistas e comunistas no leste europeu deram cabo de mais de 100 milhões de vidas, em apenas um século, montados nos auspícios do que Pio XI acertadamente chamou de “ideologia neopagã detestável”[2]. De fato, a loucura revolucionária, segundo os cálculos do professor R.J. Rummel, da Universidade do Havaí, levou à morte mais civis no século XX do que todas as guerras e catástrofes naturais do começo da civilização até hoje somadas. Eis o tamanho do crime: 262 milhões de mortos e contando[3].
O montante de corpos contabilizados pelas sendas da revolução dá-nos a prova do quão equivocado está aquele professor universitário que, a fim de conquistar a turma e demonstrar ares de superioridade intelectual, precisa fazer troça da Igreja Católica e daqueles que ousam romper o dogma de que é necessário desertar de seu batismo para conquistar um diploma acadêmico. Ateísmo não é sinônimo de inteligência. Pelo contrário, trata-se de uma simples negação da realidade e, em última análise, das suas exigências. Com efeito, diz-nos Bento XVI:“somente quem reconhece Deus, conhece a realidade e pode corresponder-lhe de modo adequado e realmente humano”[4]. E essa afirmação se torna tanto mais verdadeira quando confrontada com os frutos do “século do nada” – para usar uma expressão de Gustavo Corção. Seja na ficção científica de Richard Dawkins – a nova coqueluche do neoateísmo –, seja nos diálogos de Nietszche – sobretudo no seu “Assim falou Zaratustra” –, o que se percebe no ateísmo militante é muito mais uma atitude de afetação e preconceito religioso do que de autêntica sabedoria.
Certamente, os ateus que procuram acoimar os cristãos de ignorantes desconhecem a literatura de Chesterton, a profundidade filosófica de Edith Stein, os progressos científicos de Jerome Lejeune – o responsável pela descoberta da trissomia 21, comumente conhecida por Síndrome de Down –, a pesquisa histórica de Paul Johnson e Daniel-Rops ou, quem sabe ainda, a famosíssima mitologia de J.R.R. Tolkien. Não por acaso, C.S. Lewis, outro autor cristão de renome internacional, acabou deixando a bobagem agnóstica para trás justamente pelo exemplo do amigo criador d’O Senhor dos Anéis:
[...] Lewis achava difícil aceitar o fato de que seu novo amigo era um dos homens mais interessantes, intelectuais e inteligentes que ele jamais havia conhecido e ainda um cristão devoto - e católico, para começar.[5]
A cruzada ateísta contra a fé cristã não só abre caminho para a falsificação do conceito de realidade, como também para o ressurgimento do paganismo. Quando não se crê em Deus, acaba-se crendo em tudo. “A superstição” – recorda-nos G.K. Chesterton – “ocorre em todas as épocas, e especialmente em épocas racionalistas”[6]. E o resultado não podia ser outro, senão o que já foi visto em todos os períodos em que a humanidade foi deixada à mercê dos falsos deuses. O cristianismo, por sua vez, baseia-se em outra medida: Nosso Senhor Jesus Cristo. É Ele que vem a nós, é Ele o nosso fundamento. A partir disso, constitui-se grande verdade a afirmação do Papa Francisco, na última Mensagem para o dia mundial da paz:
[...] Uma verdadeira fraternidade entre os homens supõe e exige uma paternidade transcendente. A partir do reconhecimento desta paternidade, consolida-se a fraternidade entre os homens, ou seja, aquele fazer-se «próximo» para cuidar do outro.[7]

Quando se coloca Deus entre parêntesis, pretendendo-se assim dar prioridade aos bens materiais, econômicos e políticos, começa-se por incutir no coração do homem uma lógica gladiadora, na qual todos são nivelados à condição de objeto. É humano aquele que tiver mais poder. Disso nasce a famosa frase do ateu Jean-Paul Sartre: “o inferno são os outros”. O homem deixa de ser irmão para se converter em obstáculo. E uma tal lógica só poderia “terminar por caminhos equivocados e com receitas destruidoras.”[8] Diz-nos o evangelho que uma árvore é reconhecida pelos seus frutos. Certamente, 262 milhões de mortos não são o que poderíamos chamar de “bons frutos”.

Fonte: Equipe Christo Nihil Praeponere
Escute a pregação
Deus os abençoe!
CAFN

sexta-feira, 28 de março de 2014

Pensamentos para os Jovens

Direito

"O relativismo difundido, segundo o qual tudo se equivale e não existe verdade alguma, nem qualquer ponto de referência absoluto, não gera a verdadeira liberdade, mas instabilidade, desorientação, conformismo às modas do momento. Vós, jovens, tendes direito a receber das gerações que vos precedem pontos firme para tomardes as vossas opções e construirdes a vossa vida, do mesmo modo que uma jovem planta precisa de um sólido apoio para que as raízes cresçam e se torne depois uma árvore robusta, capaz de dar fruto"

Fonte: Livro Pensamentos para os Jovens Papa Emérito Bento XVI.

Deus os abençoe Juventude
CAFN

quarta-feira, 26 de março de 2014

ORAÇÃO: A PORTA DA SANTIDADE

Quer aprender a rezar? Esta é a mensagem para nós!

Os Santos Padres e os grandes mestres da vida espiritual estão todos de acordo: sem oração – sem muita oração! – não é possível chegar à santidade. Mas o que é a oração? Como posso iniciar uma vida de oração, perseverar e nela progredir?

Veja mais informações sobre o que é transverberação acessando o link abaixo no qual os destinará ao site do saudoso Pe. Paulo Ricardo sjc.



Deus os abençoe!
CAFN

sexta-feira, 21 de março de 2014

Pensamentos para os Jovens

Perguntas

"O jovem rico pergunta a Jesus: "Que devo fazer?". A altura da vida em que vos encontrais é tempo de descoberta: dos dons que Deus vos concedeu e das vossas responsabilidades. É igualmente, tempo de opções fundamentais para construirdes o vosso projeto de vida. Por outras palavras, é o momento de vos interrogardes sobre o sentido autêntico da existência, perguntando a vós mesmos: "Estou satisfeito com a minha vida? Ou falta-me ainda qualquer coisa?". Como o jovem do Evangelho, talvez vós vivais também situações de instabilidade, de perturbação ou de sofrimento que vos levam a aspirar a uma vida não medíocre e a interrogar-vos: em que consiste uma vida bem sucedida? Que devo fazer? Qual poderia ser meu projeto de vida? Não tenhais medo de enfrentar estas perguntas! Longe de vos acabrunharem, elas experimentam as grandes aspirações, que estão presentes no vosso coração. Portanto, devem ser ouvidas. Esperam respostas não superficiais, mas capazes de satisfazer as vossas autênticas expectativas de vida e felicidade"

Fonte: Livro Pensamentos para os Jovens Papa Emérito Bento XVI.

Deus os abençoe Juventude!
CAFN

quinta-feira, 20 de março de 2014

O QUE É TRANSVERBERAÇÃO?

O que é a transverberação?

Por várias vezes na história, serafins com flechas incandescentes visitaram as almas amantes de Cristo. Afinal, de que se trata esse fenômeno místico experimentado por homens da estirpe de São Francisco de Assis, Santa Teresa de Jesus e São Pio de Pietrelcina?

O fenômeno da transverberação ficou conhecido principalmente por causa da famosa escultura de Gian Lorenzo Benini, chamada "O Êxtase de Santa Teresa" que está na Igreja de Santa Maria della Vittoria, em Roma. Essa magnífica obra barroca retrata uma experiência relatada pela própria Santa Teresa de Jesus, em sua autobiografia.

Veja mais informações sobre o que é transverberação acessando o link abaixo no qual os destinará ao site do nosso saudoso Pe. Paulo Ricardo sjc.


Deus os abençoe!

CAFN